Oposição aceita votar novos créditos adicionais

A oposição aceitou ampliar a pauta de votação do Congresso na sessão desta manhã e votar outros pedidos do Poder Executivo de crédito especial ao Orçamento deste ano, além daquele que libera R$ 6,13 bilhões para pagamento de aposentados e servidores dos três poderes federais. O relator do projeto, deputado João Coser (PT-ES) deu parecer favorável, mas criticou o Poder Executivo por cometer um erro de previsão das despesas com pagamento dos salários dos servidores em mais de 10% dos gastos anuais com salários. Os outros créditos especiais totalizam cerca de R$ 500 milhões e incluem recursos para financiamento de irrigação, projetos da Escola Nacional de Administração Pública (Enap) e do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), além de pagamentos de organismos internacionais e até mesmo de obras rodoviárias. Uma dotação para o Ministério da Saúde de R$ 315 milhões destinará um terço desses recursos para o programa de prevenção à aids. Um pedido de crédito especial de R$ 3,6 bilhões destinando parte dos recursos para o Banco da Amazônia S.A. (Basa) e para o Banco do Nordeste (BNB) foi retirado da pauta porque a oposição não aceitou aprovar recursos para o BNB.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.