Operadoras devem R$ 226,7 milhões ao SUS

Desde setembro de 1999, os planos de saúde são obrigados a devolver ao Sistema Único de Saúde (SUS) os gastos de associados que foram atendidos nos hospitais públicos. O problema é que essa conta não está sendo paga.Somente em São Paulo, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) emitiu às operadoras avisos dos serviços prestados no valor de R$ 95,1 milhões. A maior parte foi contestada administrativamente ou na Justiça.Efetivamente, a agência só conseguiu efetivar a cobrança de R$ 15,6 milhões e arrecadou apenas R$ 1,2 milhão. Em todo o País, a situação é grave. A secretária-adjunta de Desenvolvimento Setorial da ANS, Vera Ungarette, diz que foram identificados serviços prestados na rede pública a 167 mil beneficiários de planos no valor de R$ 226,7 milhões. Com o julgamento final de parte dos recursos, a agência cobrou R$ 19,3 milhões, mas só recebeu R$ 1,9 milhões. A secretária antecipa que no primeiro semestre deste ano ocorrerão "mudanças significativas".Na sua opinião, a cobrança é "nobre e justa", mas esbarra na "má vontade das operadoras" e também em "dificuldades operacionais" decorrentes de um sistema complexo com grande número de homônimos e insuficiência de informações no cadastro. Com isso, as operadoras conseguem impugnar as cobranças.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.