Operação tapa-buraco não deverá ser necessária em 2007

A polêmica operação tapa-buraco, executada pelo governo Lula no primeiro semestre deste ano, não deve ser repetida em 2007, asseguraram nesta quarta-feira, 06, o ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, e o diretor-geral do Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes (DNIT), Mauro Barbosa da Silva."Com as intervenções que faremos onde for necessário e as obras de conservação não precisaremos desencadear um programa emergencial nas proporções do que foi executado neste ano", disse o ministro, após visita às obras de recuperação da BR-040, em Luziânia (GO).Barbosa reforçou que não será necessário fazer um programa emergencial de recuperação das estradas porque, segundo ele, o DNIT está realizando licitações para contratar empresas para tocar obras de conservação em todas as rodovias que não possuíam antes esse tipo de contrato. "Essas rodovias precisam ter, no mínimo, contratos de conservação, para fazer obras de tapa-buraco, limpeza, pequenos remendos. Isso é a nossa obrigação", disse.Além desses contratos para conservação, o DNIT, desde o início do ano, tem feito licitações para contratar empresas para obras de recuperação em rodovias federais. Segundo Barbosa, desde janeiro já foram licitados contratos que somam R$ 2,5 bilhões para obras de recuperação em 9,6 mil quilômetros de rodovias. Até o fim do ano, o diretor do DNIT espera licitar mais R$ 3 bilhões para obras de recuperação em mais 10 mil quilômetros de estradas, totalizando R$ 5,5 bilhões licitados para este fim.O DNIT esclarece que nem todo esse montante será empenhado neste ano, mas ao longo do ciclo de realização das obras, que deve se estender até 2008.As obras visitadas nesta quarta pelo ministro e por Barbosa estão entre os trabalhos de recuperação de pista que já foram licitados. No caso da rodovia BR-040, que liga Brasília a Belo Horizonte, foram iniciadas obras de reparos em um trecho de 180 quilômetros que vai das proximidades da divisa do Distrito Federal com Goiás até Cristalina (GO). O investimento na obra é de aproximadamente R$ 26 milhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.