Operação retira invasores da terras dos kaiapós no Pará

Começou nesta quarta-feira, no sudeste do Pará, a Operação Kaiapó, trabalho conjunto que visa combater a grilagem de terras, a extração ilegal de madeira e o garimpo nas áreas pertencentes aos índios kayapós. Desde as 4 horas, integrantes da Fundação Nacional do Índio (Funai) e agentes da Polícia Federal e do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) estão na região também para retirar 50 invasores.O ex-administrador regional da Funai em Marabá Eimar Araújo, um dos coordenadores da ação, explicou que a presença dos invasores foi identificada há cerca de um ano, após denúncia dos kayapós. Segundo ele, tudo foi confirmado com sobrevôo na área e o uso de imagens de satélite. Eimar acrescentou que a maioria dos locais estava em preparação para virar pastagem.O chefe da equipe, delegado Delfino de Castro Neto, da Polícia Federal, falou que espera que a saída das pessoas ocorra de forma pacífica. A previsão é de que os trabalhos durem cerca de 12 dias. "A área é muito grande e isso dificulta a fiscalização pelos órgãos federais. Cria a necessidade de uma ação quase permanente, pois são quase 3,3 milhões de hectares" - declarou. Para se ter uma idéia, cada hectare corresponde a um campo de futebol.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.