Operação Resplendor prende cúpula da PF em Volta Redonda

Foram presos dois delegados, um chefe de operações e três agentes, acusados de adulterar combustível

Felipe Werneck. de O Estado de S. Paulo,

25 de setembro de 2008 | 10h13

A cúpula da Delegacia da Polícia Federal (PF) em Volta Redonda, no Sul Fluminense, foi presa nesta quarta-feira, 25, em operação realizada pela Superintendência da PF no Rio. Foram detidos nesta manhã, o delegado-titular, César Augusto Gomes Gaspar , o delegado-substituto, Gustavo Stteel, o chefe do Núcleo de Operações, Sérgio Vinícius de Oliveira e três agentes da delegacia sob a acusação de formação de quadrilha armada, corrupção ativa e passiva. Ao todo, o MPF de Volta Redonda ofereceu denúncia à Justiça contra 58 integrantes da quadrilha.   Os policiais federais foram denunciados por suposto envolvimento com 18 empresários acusados de transportar clandestinamente e adulterar combustíveis. Segundo a PF, o grupo atuava com apoio de policiais civis e militares. Foram expedidos pela Justiça 40 mandados de prisão preventiva: sete policiais federais, cinco policiais civis, nove policiais militares, 18 empresários e um despachante. Até o momento, além dos seis policiais federais, foram presos, segundo a PF, um policial civil no Rio, um PM em São Paulo, e 10 empresários, dos quais três em São Paulo.   A investigação começou há cerca de seis meses, de acordo com a PF, a quadrilha trazia o combustível de São Paulo em caminhões com notas fiscais frias e em alguns casos sem nota. As investigações apontam que a quadrilha pagava uma mensalidade aos policiais para continuar agindo sem fiscalização.   Texto ampliado às 14h53

Tudo o que sabemos sobre:
Operação Esplendor

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.