Operação pega alemão com peixe raro do Amazonas

Foram apenas 15 dias de "Operação Alvorada", mas segundo o gerente executivo do Ibama, Henrique Pereira, valeu a pena. Além de conscientizar boa parte da população quanto a necessidade de preservar o meio ambiente, o órgão apreendeu em poder de um alemão uma carga considerada muito preciosa: 56 exemplares de Asterophycus Batrachus, um peixe tipicamente amazônico conhecido como Bagre Sapo, que já tomava o rumo do exterior. Este peixe raro é um dos mais cobiçados por pesquisadores e biopiratas.A apreensão aconteceu no último sábado, quando o Ibama já encerrava a operação. Ao interceptar uma embarcação do estreito do Rio Negro, os fiscais depararam com a carga ilegal em poder do alemão, naturalizado brasileiro, Mark Bayer. Como apresentou documentação comprovando residência em Manaus, ele foi apenas multado em R$ 10 mil e responderá processo em liberdade.A operação, porém, não se limitou a fiscalizar o Rio Negro. Durante os 15 dias, fiscais do Ibama vigiaram ostensivamente os aeroportos de Manaus, Tefé, Tabatinga e São Gabriel da Cachoeira, considerados os mais visados pela biopirataria. Além disso, visitaram todos os hotéis de selva do Amazonas e instruíram os turistas sobre como agir em caso de desconfiança de algum caso de biopirataria. Segundo Henrique Pereira, esse trabalho de conscientização será mantido. "Temos que colocar a população e os visitantes do nosso lado", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.