Operação Pampa simula guerra no Sul do País

As Forças Armadas do País vão mobilizar cerca de 10 mil pessoas na Operação Pampa 2006, um exercício combinado de guerra convencional, de características ofensivas, que começou no domingo, 5, e prossegue até segunda-feira, 13, nos três Estados do Sul.O general-de-Exército Carlos Alberto Pinto Silva, comandante militar do Sul e comandante do Teatro de Operações Sul, disse que as manobras servem para adestrar a tropa e também à estratégia da dissuasão. "Elas mostram que temos Forças Armadas unidas e capazes de ser empregadas", destacou.O exercício contará com cerca de 5,8 mil militares do Exército, 3,4 mil da Marinha e 500 da Força Aérea. A primeira etapa, no domingo, foi o embarque de 1,2 mil militares num navio de transporte de tropas, no porto de São Francisco do Sul, em Santa Catarina. A divisão desembarca no porto de Rio Grande (RS) nesta terça-feira.Para as operações, o contingente será dividido em dois comandos. Um deles é o vermelho, menor, responsável por movimentos táticos que vão provocar as operações do segundo. No comando azul estará a maioria dos militares treinando ataques terrestres e aéreos, transposição de cursos d´água e defesa de portos e territórios. Além das ações no interior e litoral do Rio Grande do Sul, haverá simulação eletrônica de combates em Curitiba.O dia mais movimentado deve ser a quinta-feira, com operações ofensivas terrestres em Santiago (RS), defesa e controle do porto de Rio Grande e ações aéreas de interdição e de apoio às forças de superfície. A operação envolveu o deslocamento de tropas e de equipamentos como aviões, navios, tanques e caminhões para o Sul e tem um custo estimado em R$ 6 milhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.