Operação padrão provoca problemas na fronteira

As paralisações da Polícia Rodoviária Federal e da Polícia Federal no Paraná provocaram problemas em Foz do Iguaçu, na fronteira entre o Brasil e Paraguai, com filas de aproximadamente cem caminhões durante a quinta-feira. O bloqueio ocorrido na BR-277 aconteceu também por causa da paralisação dos auditores da Receita Federal, servidores do Ministério da Agricultura e agentes da Anvisa.

JULIO CESAR LIMA, Agência Estado

09 de agosto de 2012 | 19h50

No estado, a operação padrão feita pela Polícia Federal provocou atrasos em 45% dos 53 voos programados para a parte da manhã, até às 11 horas, quando a ação foi suspensa. No Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais (Região Metropolitana de Curitiba) os policiais realizaram as revistas de forma individuais em todas as bagagens. O movimento no Porto de Paranaguá também foi afetado e um grupo de cem navios aguardava nesta quinta a liberação da PF para atracar.

Ambas as categorias, porém, estavam de sobreaviso até o início da noite, segundo seus representantes sindicais, pois aguardavam uma posição da reunião que ocorreria entre os profissionais e o governo federal. As duas categorias querem reajuste salarial com reajuste acumulado desde a inflação de 2008, reposição salarial de 30% e a reestruturação salarial dos profissionais.

A Superintendência da PF em Curitiba também suspendeu a emissão de passaportes desde a quarta-feira (8), além de outros serviços. Segundo o presidente do Sindicato dos Policiais Federais no Estado do Paraná (Sinpef-PR), Afonso Vicentine, a categoria está de sobreaviso. "Vamos aguardar os resultados das reuniões, e esperamos que haja uma decisão favorável para toda a categoria", disse.

Na opinião do presidente do Sindicato dos Policiais Rodoviários Federais do Paraná, Esmael de Oliveira, os policiais rodoviários também aguardavam os resultados das reuniões em Brasília. O movimento concentrou-se na área da fronteira com o Paraguai e também no quilômetro 714, da rodovia BR-277, em Santa Terezinha do Itaipu. "Esperamos que dessa vez o governo federal aceite as reivindicações, vamos aguardar, e em seguida discutirmos nossas estratégias", concluiu. No Paraná atuam cerca de 600 policiais rodoviários federais e 700 policiais federais.

Tudo o que sabemos sobre:
greveservidoresParaná

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.