Operação da Polícia Federal investiga fraudes nos Correios, Anac e ANA

Grupo composto por servidores públicos e empresários fraudaria pareceres técnicos para acelerar trâmite de processos; ao menos três órgãos publicos estão envolvidos

Vannildo Mendes, da Agência Estado - ampliado às 12h41

23 de novembro de 2012 | 10h41

A Polícia Federal deflagrou operação nesta sexta-feira, 23, em ao menos três órgãos federais para investigar fraudes em pareceres técnicos. Foram feitas buscas e apreensões na Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), a Agência Nacional de Águas (ANA) e os Correios. Estão sendo apreendidas mídias eletrônicas e documentos.

 

A ação é articulada pela Superintendência da PF de São Paulo e realizada na capital e no interior de São Paulo e em Brasília.Segundo nota oficial divulgada nesta sexta, a operação tem por objetivo "desarticular organização criminosa que se infiltrou em diversos órgãos federais".

 

Os policiais cumprem seis mandados de prisão, dois deles contra servidores públicos. A investigação, segundo a PF, começou em março de 2011, quando um servidor do Tribunal de Contas da União (TCU) relatou ter recebido a oferta de R$ 300 mil para fazer um parecer técnico para beneficiar um grupo empresarial do setor portuário. A prática se repetiria em outros órgãos, de acordo com a polícia.

 

Segundo as informações divulgadas até o momento, o grupo, composto de servidores públicos e agentes privados, procurava servidores na tentativa de acelerar a tramitação de pareceres técnicos. Os envolvidos vão responder pelos crimes de corrupção ativa, corrupção passiva, formação de quadrilha, tráfico de influência, violação de sigilo funcional, falsidade ideológica e falsificação de documento particular. As penas podem ir de 2 a 12 anos de prisão.

 

Com informações da assessoria da PF em SP

Tudo o que sabemos sobre:
PFoperaçãocorreiosanac

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.