Operação da PF prende oito madeireiros no Pará

Agentes da Polícia Federal em Santarém, no oeste do Pará, prenderam oito madeireiros acusados de montar empresas fantasmas para a extração ilegal de madeira, nas florestas da região de Novo Progresso e Castelo dos Sonhos. Essas são áreas onde a grilagem de terras e a invasão para a retirada de mogno aumentam a cada dia.Durante a "Operação Gasparzinho", comandada pelo delegado Ualame Fialho, foram presos, somente em Santarém, os madeireiros Hiroito Tabajara Lacerda, Cléber Augusto Becker, Benedito Marques de Sousa e Reinaldo dos Santos Araújo. Em Manaus (AM), foi preso Marcos Antonio Souza de Castro, e em Patos (PB), Jarbas Lacerda dos Santos. Os outros dois madeireiros não tiveram seus nomes divulgados. Outras prisões poderão ser feitas nos próximos dias, segundo Fialho. Todos os detidos serão indiciados em cerca de 30 inquéritos. A montagem de madeireiras fantasmas no sudoeste do Pará já provocou o cancelamento de 62 CNPJs pela Receita Federal. Essas empresas geralmente se estabelecem em prédios de luxo, onde outras atividades são exercidas. Fialho disse que os oito madeireiros presos integram uma quadrilha que, além de abrir firmas fantasmas, estaria envolvida em grilagem de terras e crimes ambientais. Hiroito Tabajara seria o líder do bando.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.