''Operação contraria impressão de pizza''

ENTREVISTA - Osmar Serraglio: deputado (PMDB-PR) e relator da CPI dos Correios

Marcelo de Moraes, Brasília, O Estadao de S.Paulo

09 de julho de 2008 | 00h00

Relator da CPI dos Correios no Congresso, o deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR) afirmou ontem que as investigações conduzidas na Operação Satiagraha ainda podem encontrar novas pontas de irregularidades, especialmente na área de fundos de pensão.Entre os presos ontem está Daniel Dantas, sócio-fundador do Grupo Opportunity, que na CPI teve seu indiciamento proposto por Serraglio pelo suposto envolvimento no esquema do valerioduto - montado pelo empresário e publicitário mineiro Marcos Valério, denunciado no inquérito que apurou o escândalo do mensalão.A seguir, os principais trechos da entrevista:O senhor ficou surpreso com a prisão de Daniel Dantas? Eu pedi o indiciamento de Daniel Dantas no relatório da CPI e esperava que ele fosse processado. Para os integrantes do Ministério Público, que estão mais distantes dos embates políticos, as investigações são mais facilitadas.No relatório da CPI dos Correios, o senhor apontou Daniel Dantas como envolvido no suposto esquema de irregularidades do valerioduto. Mas o senhor imaginava que, mais de dois anos depois do fim da CPI, o caso tivesse esses desdobramentos?Na CPI, já tínhamos verificado vários elementos que indicavam seu envolvimento (de Dantas) com o valerioduto. O Ministério Público deu seqüência a essas investigações e esse resultado está aparecendo agora. Essa operação contraria aquela impressão de pizza dentro do Poder Legislativo e acredito que tem muito mais ainda para acontecer nessa área. É importante que haja essa seqüência tanto tempo depois, porque mostra que os processos estão sendo feitos e que aquelas irregularidades estão sendo averiguadas.A operação prendeu também outros nomes importantes, como o ex-prefeito de São Paulo Celso Pitta e o empresário e investidor Naji Nahas. A CPI também tinha elementos de envolvimento deles com o esquema do valerioduto?Não encontramos nada sobre isso, na época. E não imagino qual é a participação deles no caso. Os elementos que levaram a essas prisões devem ter sido produzidos pelo Ministério Público nos desdobramentos das investigações feitas pela CPI. Não imagino o que provocou suas prisões. No nosso trabalho, não apareceu nada sobre eles.O senhor acha que as investigações sobre o mensalão e o valerioduto ainda podem produzir novidades?Eu acho que sim. Acho que a próxima ponta a ser descoberta nessas investigações envolverá os fundos de pensão. Vimos muitos indícios de problemas nessa área durante nossos trabalhos na comissão parlamentar de inquérito.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.