Operação abafa ganha reforço da oposição

A oposição aderiu à operação abafa comandada pelo presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), para evitar as investigações das denúncias sobre a existência de um grande esquema de corrupção na Casa, feitas pelo ex-diretor de Recursos Humanos João Carlos Zoghbi. Depois de reunir a bancada, o PSDB desistiu de pedir a participação da Polícia Federal nas investigações feitas pela Polícia Legislativa do Senado. No lugar, propôs a convocação de Zoghbi e do ex-diretor-geral do Senado Agaciel Maia para ser sabatinados pelos senadores. Sarney aceitou a proposta, mas não marcou data para a acareação. Em entrevista à revista Época, Zoghbi e a mulher afirmaram que Agaciel é sócio de todas as empresas terceirizadas que têm contrato com o Senado e insinuou o envolvimento de senadores. Agaciel nega as acusações. Em nota, Sarney rebateu as acusações de que a investigação vai terminar em pizza. Mas deixou claro que as apurações não chegarão aos senadores. "Ouvir senadores é função exclusiva do Supremo Tribunal Federal", argumentou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.