ONU vai pagar compensação para família de Vieira de Mello

O diretor da sede da ONU em Genebra, Sergei Ordzhonikidze, revelou ao Estado que a família do brasileiro Sérgio Vieira de Mello está pedindo compensações às Nações Unidas pela morte do diplomata, ocorrida no dia 19 de agosto, em Bagdá. Segundo o diretor da ONU, a entidade irá pagar a compensação sem questionar. "Acho que devemos fazer isso", afirmou Ordzhonikidze, se recusando a dizer o valor da indenização solicitada. O diretor disse também que a família de outros funcionários da ONU mortos no Iraque também já entraram com seus pedidos de compensações.A ONU prevê, em suas regras, que as famílias de funcionários que tenham se acidentado ou tenham sido mortos em serviço possam pedir indenizações. Uma comissão irá agora investigar cada uma das mortes e acidentes e, então, determinar o valor a ser pago a cada família das vítimas. Apesar de os valores serem mantidos em segredo, informações obtidas pelo Estado apontam que um ferimento que acabe tornando uma pessoa parcialmente inválida pode acabar exigindo que a ONU pague compensações de até US$ 300 mil à vítima.O primeiro a receber uma indenização na história da ONU foi o sueco Folke Bernadotte, enviado pela entidade em 1948 para tentar mediar o conflito entre palestinos e israelenses. Bernadotte, porém, foi morto depois de um atentado de um grupo terrorista e a ONU pediu que Israel pagasse compensações por não ter garantido a segurança do mediador internacional enquanto estava em seu território. Vieira de Mello ganhou mais uma homenagem hoje. Durante a comemoração do Dia da ONU, memoriais foram inaugurados nas sedes das Nações Unidas em Genebra e em Nova York para lembrar as vítimas do ataque contra a organização em Bagdá. Desde sua criação, nos anos 40, a ONU já perdeu cerca de 1,9 mil de seus funcionários em atos de violência

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.