ONU culpa aids pela fome no sul da África

A epidemia da aids é uma das principais causas do problema da fome no sul da África, afirmou nesta quarta-feira Stephen Lewis, conselheiro da ONU para a doença na região. Segundo ele, a morte de cerca de sete milhões de agricultores desde 1995 e a crise familiar e financeira que se seguiu exacerbaram a falta de comida, que ameaça aproximadamente 14,4 milhões de pessoas na região."É a fome induzida pela aids e complicada pela seca e enchentes", afirmou Lewis ao dar início a três semanas de visitas à região afetada. "Você não pode dizimar os agricultores e esperar uma produção agrícola similar à anterior (...)", afirmou. Até hoje, o clima adverso e o descaso dos governos locais eram apontados como principais causas do problema da fome no sul da África.A epidemia de aids era considerada apenas como um fator de contribuição, mas Lewis agora a coloca no centro da crise.RússiaO problema da aids na Rússia está explodindo, apesar de as estatísticas mostrarem que o índice de aumento do HIV caiu mais de 50% neste ano, segundo Vadim Pokrovsky, diretor do Centro para a Prevenção e Tratamento da Aids.Segundo ele, cerca de 43.000 novos casos de HIV foram registrados na Rússia nos primeiros 11 meses de 2002, bem menos, portanto, que os 87.000 ocorridos no mesmo período do ano passado. De acordo com Pokrovsky, no entanto, tais números não refletem a realidade do país.Ele afirmou que o fato de o Ministério da Saúde ter parado de pagar os testes de HIV, transferindo os custos para as regiões, fez com que muitos russos deixassem de fazer o exame e, desta forma, um grande número de pessoas infectadas não foi registrado. Enquanto o número oficial de casos de HIV na Rússia está em 220.545, Pokrovsky estima que, na verdade, entre 800.000 e 1,2 milhão de pessoas estão infectadas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.