ONU comemora, mas pede qualidade de vida para índios

O relator da ONU para os direitos dos povos indígenas, o americano James Anaya, comemorou a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a reserva Raposa Serra do Sol. Ele pediu, entretanto, que o julgamento sirva a partir de agora como uma "força para harmonizar a relação entre os povos indígenas e as autoridades". Em entrevista ao Estado, Anaya insiste que o governo precisa fazer "todo o esforço possível" para garantir uma melhor qualidade de vida para a população indígena no País. "A decisão foi um passo na direção certa", afirmou Anaya, que no início do ano esteve no local e, em seu relatório enviado à Assembléia Geral da ONU, alertou que o Brasil precisava tomar medidas concretas para reconhecer os direitos dos indígenas. "Todo índio que eu encontrei em minha visita ao Brasil deixou claro que não se recusa a ser brasileiro. Pelo contrário. O que eles querem é ser brasileiros plenos, com serviços e atendimento. Mas querem que sua cultura e sua região sejam preservadas", completou. Ativistas internacionais também comemoraram a decisão. Mas alertaram que o Estado terá de tomar medidas concretas para expulsar fazendeiros. "Essa é uma grande notícia para os povos indígenas", disse o diretor da Survival, Stephen Corry. A Survival é considerada a principal ONG européia de defesa dos interesses indígenas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.