Ônibus de linhas municipais levam população à inauguração da prefeita

Seis microônibus e três ônibus de linha do sistema municipal de transportes, respectivamente dos consórcios Unisul e AuthoPan, foram utilizados hoje para levar moradores da região de Parelheiros, extremo sul da capital paulista, para participar ainauguração de dois Centros de Educação e Cultura Indígena (Cecis) ? espécie de CEUs para a população indígena ? dasaldeias guaranis Tenonde Porã e Krukutu. A SPTrans é responsável pelo gerenciamento do transporte público da cidade.Segundo moradores que participaram da inauguração das obras da prefeita e candidata à reeleição, Marta Suplicy (PT), umarádio comunitária de Vargem Grande, nas imediações de Parelheiros, comunicou aos ouvintes que ônibus gratuitos sairiam dasubprefeitura da região para as aldeias. O motorista de ônibus, Carolino Alves Correia, de 39 anos, que normalmente faz a linha São Norberto-Terminal Santo Amaro,contou que ontem foi comunicado por seus superiores que hoje não faria seu itinerário habitual. "Os chefes das garagens medisseram que haveria um evento da prefeitura, com a presença de Marta e vereadores, e que eu deveria pegar passageiros nasubprefeitura e levá-los até as aldeias", afirmou, acrescentando que chegou a buscar moradores para o evento também noJardim dos Álamos.Cerca de 300 pessoas participaram da cerimônia de lançamento dos Cecis. O primeiro inaugurado por Marta, na manhãdesta sexta-feira, foi o de Krukutu, que vai atender 80 crianças com idade de zero a seis anos. Lá, a prefeita, que chegouacompanhada do seu marido, Luís Favre, dançou modas indígenas.O Ceci de Tenonde Porã vai atender 180 crianças. As duas unidades têm área total de 512 metros quadrados e possuembiblioteca, sala de informática, duas salas de aula e centro cultural. Além de beneficiar as crianças das aldeias, os Cecistambém vão oferecer alfabetização de adultos e formação de magistério para os índios. Como as crianças das aldeias falamguarani até os sete anos, as aulas na educação infantil serão em guarani. A prefeita Marta Suplicy, que não deu entrevista, ressaltou em seu discurso que a entrega das obras é um resgate de umadívida de 500 anos. "Fico feliz que este resgate começa pela educação, já que os índios terão acesso à sua cultura ancestrale a do Brasil moderno", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.