ONGs querem que Brasil forneça ou venda genéricos contra aids

Organizações não-governamentais (ONGs) de vários países latino-americanos ameaçam fazer nesta segunda-feira protestos diante de embaixadas brasileiras no continente. O motivo foi a morte de uma doente de aids em Honduras, por falta de medicamentos.As ONGs querem que o Brasil, modelo no combate à doença, forneça ou venda os genéricos contra aids. Segundo o coordenador do programa anti-aids, Paulo Teixeira, isso é impossível, tanto porque o País não tem capacidade de produção em grande escala, como por questões legais.Os remédios fabricados no Brasil, por respeito à lei internacional de patentes, só podem ser doados, não vendidos. A tecnologia para sua produção também só pode ser repassada sem custos. Os dirigentes dessas organizações latino-americanas, porém, alegam que entre dez e 15 doentes morrem diariamente no continente por falta de remédios, e o Brasil teria meios de ajudá-los.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.