Ongs protestam em consulado norte-americano no Recife

Fantasiados e carregando faixas e cartazes em que pregavam "Abaixo as patentes, o importante é a gente", cerca de 200 integrantes de organizações não-governamentais de todo o Brasil fizeram um protesto hoje, na frente do Consulado dos Estados Unidos, no Recife. Os manifestantes bloquearam a rua Gonçalves Maia, no bairro da Boa Vista, onde se localiza o consulado, para defender a lei de patentes brasileira - que permite transformar medicamentos de marca em genéricos e similares, com redução de preços.A Oxfam, ong internacional que atua em vários países na execução de programas sociais e uma das organizadoras da manifestação, pretende fazer uma campanha mundial em favor do Brasil, de acordo com o seu assessor Michael Bailey. Os Estados Unidos denunciaram o Brasil na Organização Mundial do Comércio (OMC), em fevereiro, argumentando que a lei de patentes do Brasil viola o Tratado Internacional de Propriedade Intelectual (TRIPS). "Se o órgão se posicionar a favor dos Estados Unidos, será um grande risco para a política de saúde pública brasileira e os programas brasileiro de combate à aids e de medicamentos genéricos sofrerá graves prejuízos", avaliou Bailey. "É um conflito entre o interesse público e os interesses comerciais das grandes indústrias farmacêuticas".Bailey pretende trazer políticos do Parlamento Europeu e inglês para conhecer a realidade brasileira e o programa de genéricos. Além disso já programa o envio de delegações de ongs que tratam da aids na Ásia e África aos Estados Unidos. O objetivo é fazer lobby no Congresso norte-americano e conquistar a sociedade. "O que move o governo norte-americano é a repressão doméstica", observou.Em uma carta aberta à população, as ongs exigem que os Estados Unidos retirem a queixa contra o Brasil e que a OMC não leve o Brasil a julgamento. As entidades que organizaram a manifestação estão reunidas no XI Encontro Nacional de Ongs/Aids, que discute as políticas de prevenção e combate à aids e acaba domingo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.