ONGs protestam contra críticas de Lula a ambientalistas

O Instituto Socioambiental (ISA), associação sem fins lucrativos fundada há 12 anos, divulgou nota na Sexta-feira de repúdio a declarações do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, feitas na terça-feira, em Mato Grosso, de que ambientalistas, índios, quilombolas e o Ministério Público são "entraves" para retomar o crescimento. "A declaração causa-nos profunda indignação", diz a nota, endossada por 51 entidades, entre ONGs, órgãos ligados à Igreja Católica e à questão ambiental."Informações do próprio governo atestam que a morosidade na tramitação de alguns projetos de infra-estrutura se deve à sua má qualidade ambiental, ao não-cumprimento de prazos por parte dos empreendedores e à insuficiência de quadros e de recursos nos órgãos públicos responsáveis pelo licenciamento", afirma. "Destravar o desenvolvimento não deveria significar a supressão de direitos ou de garantias legais e sim a superação de fragilidades técnicas dos empreendedores e do governo."Segundo o ISA, "ao atacar minorias", Lula recorre a um argumento inconsistente e "comete inominável injustiça". E finaliza: "A todos interessa o desenvolvimento, que não é apenas econômico, lição aprendida desde os tempos da ditadura."EntravesLula fez o comentário na inauguração da primeira usina de biodiesel acrescido de álcool no País, em Barra do Bugres (MT). Após o governador Blairo Maggi atacar a demora das licenças ambientais, Lula prometeu crescimento. "Estou me dedicando, em novembro e dezembro, a ver se eu pego todos os entraves que eu tenho com o meio ambiente, todos os entraves com o Ministério Público, todos os entraves com a questão dos quilombolas, com a questão dos índios brasileiros, todos os entraves no Tribunal de Contas", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.