ONGs farão protesto contra programa nuclear brasileiro

Está marcada para quarta-feira uma mobilização em São Paulo, Recife, Rio de Janeiro e Salvador para pedir o fim do programa nuclear brasileiro, após os trágicos efeitos do terremoto no Japão, que danificou a usina Daiichi, em Fukushima, e causou uma crise nuclear. "O acidente de Fukushima deixa claro: quando se trata de energia nuclear, não há segurança nem transparência suficiente", afirma Rebeca Lerer, diretora de conteúdo da organização não-governamental (ONG) Matilha Cultural.

AE, Agência Estado

21 de março de 2011 | 13h00

"Não podemos ficar parados. Esse é o momento de pressionar o governo brasileiro a seguir o exemplo da Alemanha e da China, que estabeleceram moratória aos projetos nucleares em seus países por conta do desastre no Japão", afirma Rebeca, em comunicado. "O Programa Nuclear Brasileiro, criado durante a ditadura militar, é caro, inseguro e protegido por leis de sigilo", acrescenta. André Amaral, diretor da EcoGreens, lembra que o Brasil "tem capacidade de gerar duas vezes mais eletricidade do que seu consumo atual, apenas através da energia dos ventos, que já é muito mais barata que a nuclear".

A mobilização será realizada das 18h às 22h e deverá ocorrer simultaneamente em São Paulo, na Praça da Liberdade; no Rio, na sede da Eletrobrás; no Recife, em frente ao palácio do governo; e em Salvador, próximo ao Elevador Lacerda. A manifestação é aberta e será uma vigília pacífica com flores e velas. Mais informações podem ser obtidas pelo site www.matilhacultural.com.br.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.