Ongs avaliam que Lula descumpre promessas da campanha

O Conselho Diretor da Associação Brasileira de organizações não governamentais (Abong) divulgou nota hoje com várias críticas ao governo pela condução da economia. "Lula não considera a hipótese de tocar nas cláusulas pétreas da atual política econômica: o elevado superávit primário e a busca de credibilidade junto aos credores da dívida pública", diz a nota ao final da reunião de 120 representantes de 270 ONGs num seminário realizado de terça até hoje no Rio.A Abong considera que o presidente está deixando de cumprir o programa de governo e "questiona os rumos do governo a partir de princípios políticos que se contrapõem ao primado do mercado sobre a sociedade". As ONGs pedem mudanças. "Ainda que tal política pudesse se justificar no momento da crítica transição do governo anterior para o atual, seu prolongamento indefinido representará a renúncia do Estado ao cumprimento de suas irrenunciáveis obrigações para com a efetivação dos direitos sociais da população brasileira", diz a nota.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.