ONG aponta melhora na atuação de vereadores de SP

Uma avaliação feita desde 2005 pela ONG Voto Consciente, sobre o trabalho dos 55 vereadores paulistanos mostra que a qualidade geral do serviço melhorou: 22 deles obtiveram média acima de 6,0. No levantamento da legislatura anterior, de 2000 a 2004, nenhum havia alcançado essa nota. Apresentado ontem, na Câmara Municipal, o estudo cita entre os dez primeiros quatro vereadores do PT, três do PSDB e três do PTB. "Essa melhora é uma boa notícia para a cidade", resumiu a presidente da ONG, Sonia Barboza, diante de uma platéia de 60 pessoas. A cada vereador são dadas sete notas, em itens como qualidade dos projetos apresentados, freqüência nas comissões, fidelidade partidária e coerência. Para cumprir a tarefa, voluntários da ONG circulam diariamente pela Câmara, assistindo às reuniões em plenário, nas comissões, avaliando projetos e até os sites de cada um na internet. O balanço informa ainda que na atual legislatura (entre 2005 e 2008) foram apresentados 2.021 projetos, dos quais 1.309 sancionados e 343 aprovados. O Executivo apresentou até aqui 144, aprovando 117. Na sua exposição, Sonia Barboza chamou a atenção para uma deficiência nos debates que ocorrem na Câmara: dos 186 vetos decididos pela Prefeitura, 127 aconteceram porque os projetos eram inconstitucionais. "É um número alto demais, e isso é lamentável", observou. "Trata-se de projetos que simplesmente não deveriam ter existido. Gastou-se tempo, conversa, papel, tudo, por iniciativas que, desde o início, alguém deveria ter derrubado por serem contrárias à lei." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.