OMS retira Pequim da lista da Sars

A Organização Mundial da Saúde (OMS) retirou, ontem a última restrição de viagem que existia no mundo por causa da pneumonia atípica. Pequim, uma das cidades mais atingidas pelo vírus desconhecido, já não está na lista negra da entidade, o que aponta que vírus está na direção de ser controlado. A recomendação aos turistas para que evitassem Pequim foi anunciada no dia 23 de abril e tinha como objetivo evitar a proliferação da doença. Mas com o último caso do vírus tendo sido identificado no dia 29 de maio, a OMS considerou que Pequim já não representava um perigo aos turistas que quisessem visitar a cidade. "Isso mostra que estamos fazendo progressos importantes no combate à pneumonia", afirmou a diretora da OMS, Gro Harlem Brundtland. Sobre uma eliminação total do vírus, porém, a OMS é mais cautelosa. "Tudo indica que estamos perto de ter a doença controlada, mas não sabemos se eliminamos o vírus", disse um porta-voz da entidade, que lembrou que a doença atingiu mais de 8 mil pessoas no mundo e gerou a morte de mais de 800. "Temos de continuar a monitorar a situação e pedimos que todos os países não relaxem o controle", completou o porta-voz, ontem, em Genebra. O que preocupa a OMS é que, apesar da diminuição da intensidade do surto, as regiões de Taiwan e de Toronto continuam na lista de áreas que ainda potencialmente poderiam transmitir a doença. Só no Canadá, quase 40 pessoas já morreram por causa da pneumonia e os casos continuam a surgir, ainda que em um número significativamente menor que nos últimos meses. O último deles foi registrado no dia 20 de junho. "Uma área precisa ficar sem registrar o vírus por 20 dias antes de ser declarada livre da doença", explicou um técnico da OMS.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.