OMS não sabe como vírus de pneumonia é transmitido

O vírus misterioso que está causando uma pneumonia atípica em várias partes do mundo poderia ser transmitido da mesma forma que oebola passa de uma pessoa para outra. A afirmação é da Organização Mundial da Saúde (OMS), que está cada vez mais assustada com o número de casos, que chegou a 1804. Somente nesta terça-feira, foram identificados pelos menos 150 casos de contágio da pneumonia e, pela primeira vez, foi detectado um paciente na Austrália.Segundo os pesquisadores da OMS, a idéia inicial era de que a transmissão da doença somente ocorreria quando uma pessoa mantivesse umcontato prolongado com um paciente já infectado. O problema é que, com os últimos acontecimentos em Hong Kong, a teoria inicial parece não ter fundamento. Em Hong Kong, um condomínio inteiro de apartamentos foi isolado depois que mais de cem pessoas que viviam no prédio apresentaram sinaisda doença. "Estamos estudando a possbilidade de que o vírus seja transmitido pelo sistema de esgoto, de água e mesmo dentro de um elevado", afirma um porta-voz da OMS, que reconhece que não sabe quando é que um tratamento ser á desenvolvimento para combater a doença.Segundo ele, os padrões de transmissão começam a sugerir que o vírus se prolifere da mesma forma que o vírus do ebola, que também se prolifera mesmo sem o contato direto entre as pessoas. A OMS também lembra que, assim como no caso do ebola, a transmissão da pneumonia atípica ocorreria em hospitais onde as condições sanitárias não sãoadequadas.A diferença, porém, é que o ebola mata 80% das pessoas que são contaminadas, enquanto o novo vírus aparentemente está gerando a morte de apenas 4% das pessoas infectadas. Até agora, 62 pessoas faleceram por causa da doença misteriosa. A falta de conhecimento sobre o vírus não é o únicoobstáculo que a OMS está enfrentando para lidar com a doença. A China ainda não permitiu que uma equipe internacional de médicos viaje ao sul do país para verificar a situação da população.Muitos pesquisadores acreditam que seja no sul da China que a nova doença tenha surgido. Mas por enquanto, Pequim não permite a entrada deobservadores estrangeiros na região. Enquanto o tratamento da pneumonia não é anunciada, os organizadores de eventos continuam cancelando shows, torneios esportivos e reuniões diplomáticas na Ásia. Nesta terça-feira, foi a vez do Fórum Econômico Mundial cancelar sua reunião anual, que ocorreria em Pequim no dia 14 de abril e contaria com o patrocínio da Organização Mundialdo Comércio (OMC).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.