Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Olimpio diz que vai defender manutenção de Coaf com Moro em votação no Senado

Senadores votam na terça a medida provisória que trata da reforma administrativa, a MP 870; entre outras medidas, ela devolve o Coaf para o Ministério da Economia

Daniel Weterman, O Estado de S.Paulo

27 de maio de 2019 | 17h47
Atualizado 28 de maio de 2019 | 12h42

BRASÍLIA – O líder do PSL no Senado, Major Olimpio (SP), afirmou que vai defender a manutenção do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) no Ministério da Justiça e Segurança Pública, mesmo que o governo faça um apelo para que os senadores aprovem o texto da reforma administrativa como veio da Câmara, transferindo o órgão para o Ministério da Economia.

Líderes do governo, e o próprio presidente Jair Bolsonaro, fizeram um apelo na semana passada para que o Senado aprove o texto da Câmara e evite que a medida provisória da reforma administrativa perca a validade no próximo dia 3. Se os senadores fizerem uma alteração, a matéria retorna à Câmara dos Deputados com um prazo apertado.

“O presidente já disse que, em último caso, abre mão. Ele pode abrir mão de um direito, eu não abro mão de uma obrigação”, disse o líder do PSL, que acrescentou que o partido vai liberar a bancada para votar como quiser. De acordo com Major Olimpio, a Câmara teria tempo para votar as alterações do Senado porque isso acontece quando senadores analisam medidas provisórias no último dia do prazo. “Risco sempre existe e é hora de cada um de nós assumirmos a responsabilidade.”

Major Olimpio citou que, na última sexta-feira, 24, havia 30 votos dos 41 necessários para que o Coaf continue nas mãos do ministro Sérgio Moro. Para ele, o posicionamento representa uma coerência com o programa de governo de Jair Bolsonaro e com a pauta das manifestações de domingo, 26.

 Bolsonaro quer que Senado mantenha MP como ficou na câmara, diz portal-voz

Após Major Olimpio afirmar que vai defender a manutenção do Coaf na Justiça, o porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros, afirmou nesta segunda-feira, 27, que o presidente Jair Bolsonaro é favorável a que o Senado mantenha a reforma administrativa da forma como foi aprovada pela Câmara dos Deputados na semana passada. 

Bolsonaro já havia se manifestado dessa forma na semana passada, mas, mesmo assim, Major Olimpio continuou defendendo que a órgão permaneça com Moro. Líderes do governo também já fizeram um apelo para que o Senado aprove o texto da Câmara e evite que a medida provisória da reforma administrativa perca a validade no próximo dia 3. Se os senadores fizerem uma alteração, a matéria retorna à Câmara dos Deputados com um prazo apertado.

O porta-voz ainda afirmou que Bolsonaro entende que as alterações realizadas pela Câmara na reforma administrativa do governo, que reduziu de 29 para 22 ministérios, são “as que cabem no contexto inicial do presidente”. Rêgo Barros acrescentou que o presidente “confia plenamente” na condução da pauta no Senado pelo presidente da Casa, Davi Alcolumbre (DEM-AP), para que “os eventos relativos a medida provisória possam ser mais prontamente possível confirmados”. /COLABOROU AMANDA PUPO

Para Entender

Como funciona o Coaf?

Transferido do Ministério da Justiça para o da Economia após aprovação do Senado, o Coaf é o Conselho de Controle de Atividades Financeiras responsável por conter e investigar crimes financeiros. Confira aqui como o órgão atua e a sua importância.

 

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.