Okamoto não confirma se comparecerá a acareação na CPI

O presidente do Sebrae, Paulo Okamoto, não quis confirmar hoje se irá comparecer à acareação com o economista Paulo de Tarso Vanceslau na CPI dos Bingos. Perguntado se iria à acareação, Okamoto respondeu: "Todas as possibilidades legais a que eu puder recorrer para garantir o direito de mostrar a verdade como é eu vou recorrer". O presidente do Sebrae esclareceu que o motivo da acareação são acusações feitas pelo economista Paulo de Tarso Venceslau sobre métodos irregulares para abastecer o caixa 2 do PT. Venceslau foi expulso do PT em 1998. "A matéria da acareação são ilações feitas pelo economista Venceslau", disse Okamoto.Questionado se pretendia recorrer ao STF, Okamoto disse que ainda não discutiu com os advogados sobre isso. Perguntado se não temia ser usado pela oposição para atingir o presidente Lula, de quem é amigo pessoal, Okamoto afirmou: "A população sabe quem errou e quem está sendo perseguido e eu acho que estou sendo perseguido".A acareação foi remarcada para a próxima terça-feira. Estava prevista para a terça-feira passada, mas foi suspensa por decisão do ministro Eros Grau, do Supremo Tribunal Federal (STF), que entendeu que o requerimento de convocação de Okamoto fugia do tema central da CPI.O presidente do Sebrae participou hoje de um seminário sobre remessas e microfinanças que antecede a reunião anual dos governados do Bid, em Belo Horizonte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.