Oficial de justiça fiscaliza festa do Psol

Na festa de lançamento da inauguração da sede do Partido Socialismo e Liberdade (Psol), em Copacabana, zona sul do Rio, quem apareceu inesperadamente foi a fiscalização do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), através do oficial de justiça Luiz Fernando Santa Brígida, acompanhado de cinco outros "seguranças".Segundo ele, nada impede a festa, já que se trata da inauguração de uma sede, conforme lhe falaram, e não de um comitê eleitoral, o que seria prematuro e ilegal. Ele porém foi disposto a impedir a realização de uma caminhada pelas ruas de Copacabana caso os políticos e simpatizantes do partido presentes usem camisetas de campanha ou mesmo tenham qualquer espécie de adesivo à mostra. A sede foi inaugurada com a presença da senadora Heloisa Helena, pré-candidata à Presidência da República, do jornalista Milton Temer, pré-candidato ao governo do Estado do Rio, e de diversos outros políticos. O ponto alto foi quando o cartunista Ziraldo desenhou, na frente de todos, um painel com o símbolo que ele criou para o partido.O mais curioso é que Ziraldo, mesmo afirmando a necessidade da eleição de uma grande bancada do PSOL para "fiscalizar de perto o Congresso, que não tem respeito com o eleitor e o povo brasileiro", também defendeu a permanência do Partido dos Trabalhadores (PT).Segundo ele, "o PT tem uma história importante. No mundo tudo tem um lado imundo, e o que aflorou do PT foi este lado ruim, mas ele precisa ser mantido porque ele é muito melhor que o PFL e muito melhor que o PSDB, e nós precisamos realmente é moralizar este País".As principais lideranças do partido não quiseram polemizar com relação à presença da fiscalização do TRE. "Não tô ligando. Pra mim tá tudo bem", disse Heloísa Helena, enquanto o provável candidato ao governo do Estado, Milton Temer, preferiu ironizar: "Acho que é uma honra pra nós a presença deles por aqui".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.