Ofertas de compra de votos triplicaram em 2006, diz Ibope

Uma pesquisa feita pelo Ibope revelou que 8,3 milhões de eleitores - cerca de 8% do total - receberam proposta de compra de voto nas eleições de 2006. Esse índice é quase três vezes maior do que os 3% registrados na eleição de 2002.Para a ONG Transparência Brasil, que encomendou a pesquisa, esses números são "alarmantes". Eles foram divulgados nesta quarta-feira pelo coordenador da organização, Cláudio Weber Abramo. Para ele, o resultado coloca em questão a integridade do sistema eleitoral brasileiro e pode ter alterado o rumo das eleições.Abramo acredita que muitos dos eleitos em 2006 conquistaram o mandato com base na corrupção eleitoral. Ele responsabiliza o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por não ter diagnosticado e agido preventivamente em relação ao problema e culpa também a omissão dos partidos.O pior Estado foi o do Paraná, onde 22% dos pesquisados foram alvo de oferta de compra de voto. Segundo a pesquisa, o grupo mais vulnerável da população não é aquele formado por pessoas de baixa renda. O levantamento mostrou que os jovens se revelaram mais dispostos a vender o voto.O Ibope apontou também que 15% dos brasileiros acreditam que os políticos eleitos vão roubar, mas 71% acreditam que eles não roubarão, o que desmistifica a tese de que o brasileiro aprova a máxima do "rouba, mas faz".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.