Ocupação do Ministério da Agricultura termina pacificamente

Intenção da Via Campesina com ocupação de cinco horas era protestar contra o modelo de política agrícola

Fabíola Salvador, de O Estado de S. Paulo,

09 de março de 2009 | 18h07

Durou cerca de cinco horas a ocupação do andar térreo do Ministério da Agricultura por cerca de 600 mulheres do movimento Via Campesina. A intenção da manifestação era protestar contra o modelo de política agrícola e contra a lentidão do processo de reforma agrária. As mulheres não foram recebidas por qualquer assessor do ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes. Além de Brasília, o Via Campesina faz protestos, nesta segunda-feira, 9, no Espírito Santo, São Paulo, Rio Grande do Sul, Paraná e Pernambuco.   Veja também: Mulheres da Via Campesina ocupam Ministério da Agricultura VCP diz que invasão no RS resultou em corte de 1,6 mil árvores  Sem-terra é detido em manifestação da Via Campesina  Galeria: Terra sem lei   Em Brasília, a manifestação foi pacífica e não interrompeu o funcionamento do Ministério. Pela manhã, agentes da Polícia Federal compareceram ao Ministério para avaliar a invasão. Apesar da porta-voz do Via Campesina afirmar que a manifestação é pacífica, um dos seguranças do Ministério foi ferido na cabeça, no momento da invasão. Uma das portas de vidro da entrada do Ministério, foi quebrada. As mulheres que participam da invasão são sem-terra dos estados do Centro-Oeste, de Rondônia e Minas Gerais.

Tudo o que sabemos sobre:
MSTVia Campesina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.