Obras do Fórum Trabalhista terminam em março

O Fórum Trabalhista de São Paulo está praticamente concluído e será entregue à população no dia 26 de março. A pretende se tornar modelo de eficiência nos projetos públicos do País, depois de ter sido o pivô do escândalo que envolveu o ex-juiz Nicolau dos Santos Neto, o Lalau, acusado de desviar R$ 169,5 milhões de recursos destinados à obra. "Aprendemos muito com a lamentável lição do passado e instituímos um modelo pedagógico de acompanhamento, fiscalização e prestação de contas", atesta a presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região (TRT-SP), Maria Aparecida Pellegrina.Segundo Pellegrina, a ferramenta de ofício de um juiz é a lei e, portanto, após a retomada das obras houve toda uma preocupação com a transparência do andamento do projeto. "Hoje, qualquer cidadão pode acompanhar cada etapa da obra através do site do TRT -SP (www.trt-sp.gov.br). E essa transparência está permitindo que a obra seja entregue seis meses antes do prazo previsto", reitera Pellegrina. De acordo com a juíza, a fiscalização, feita por 20 técnicos do Banco do Brasil, é tão minuciosa que inclui até mesmo os parafusos utilizados na construção."Tenho certeza de que esta obra será um exemplo aos administradores públicos deste País, pois a obrigação do administrador é prestar conta de tudo, de forma transparente", disse. E concluiu: "Não é necessário o TCU (Tribunal de Contas da União) ficar cor rendo atrás para fiscalizar." Hoje, a presidente do TRT-SP fez a 17ª prestação de contas dessa obra. Desde a retomada da construção, já foram executados 97,44% do serviço e os recursos investidos são da ordem de R$ 55 milhões.Batizado de Fórum Trabalhista Ruy Barbosa, a obra tem capacidade para abrigar 90 Varas. Inicialmente 79 irão funcionar no nosso prédio, o que permitirá à Justiça trabalhista da Capital uma economia mensal, em aluguel, de cerca de R$ 500 mil. A previsão e que circulem no prédio, diariamente, cerca de 20 mil pessoas, entre advogados, juízes e servidores, entre outros. Além das Varas, o prédio vai abrigar também uma creche para os filhos dos funcionários.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.