Objeção à CPI é apenas política, diz FHC

O presidente Fernando Henrique Cardoso agradeceu hoje, durante seu discurso em Corumbá, à maior parte da bancada do Mato Grosso do Sul que não assinou o requerimento de instalação da CPI da Corrupção. Da bancada do Estado, somente dois petistas assinaram o requerimento. "Luto contra a CPI porque não posso deixar que ela se transforme em palanque contra mim", afirmou o presidente. FHC afirmou que sua objeção à CPI é política. "Acho que CPI ajuda, mas aqui (nesse caso) não. É uma CPI que não é constitucional. Ela mistura tudo. É palanque político, afeta a credibilidade do Brasil, porque parece que o Congresso não teria outra coisa a fazer a não ser se concentrar nisso", afirmou. O presidente disse, no entanto, que se o Congresso entender que é preciso instalar a CPI, "aí vamos discutir". E admitiu que enquanto isso não ocorre, o governo fará o possível para evitar a sua instalação. "Se o Congresso instalar, o governo não tem nada a esconder. O governo sempre deu apoio a CPIs e com essa não seria diferente", afirmou. "Eu erro às vezes, mas nunca com o propósito de colocar a sujeira debaixo do tapete, porque isso não é erro, é crime. E crime eu não pratico", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.