Obama pede urgência em aprovação de pacote econômico

Após encontro, líder dos EUA pede que republicanos ponham 'política de lado'.

Bruno Garcez, BBC

27 de janeiro de 2009 | 22h13

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, pediu urgência na aprovação do pacote de estímulo econômico de US$ 825 bilhões, defendido por ele.Os comentários do presidente foram feitos após um encontro com representantes do Partido Republicano no Congresso americano e pouco antes de uma segunda reunião, com representantes da oposição no Senado."A principal mensagem que eu trago é que as estatísticas todo dia mostram a urgência da situação econômica. O povo americano espera ação", afirmou.O pacote prevê investir os US$ 825 bilhões em auxílio-desemprego, seguro saúde, obras de infra-estrutura e construção de estradas, ao longo de 18 meses. O líder americano pediu ainda que os representantes da oposição ''coloquem a política de lado'' para aprovar o plano econômico. Representantes do Partido Republicano fazem restrições ao plano defendido por Obama porque querem que ele inclua cortes de impostos e ofereça garantias claras de que empregos serão criados. EmpregosObama afirma que a proposta defendida por ele criará cerca de 4 milhões de novos postos de trabalho.O líder dos Estados Unidos foi diplomático ao reconhecer as resistências de representantes da oposição."Os republicanos possuem algumas diferenças filosóficas claras em relação a partes do meu plano e eu respeito isso"."Eu não espero 100% de acordo por parte de meus colegas republicanos, mas eu espero que nós possamos colocar a política de lado e fazer o serviço ao povo americano", acrescentou.SinceroDe acordo com o líder dos republicanos no Congresso, John Boehner, ''o presidente é sincero quando diz que quer trabalhar conosco, ouvir nossas idéias e buscar um meio termo''.Mas segundo relatos da imprensa americana, Boehner e seu vice, Eric Cantor, teriam criticado a proposta, em uma reunião a portas fechadas realizada antes do encontro com Obama.Segundo eles, o projeto oferece muitos gastos desnecessários.CríticasOs críticos do pacote argumentam ainda que para levantar a cifra bilionária do pacote, os Estados Unidos irão ampliar ainda mais o seu já gigantesco déficit, de US$ 1,2 trilhão.Nesta terça, o Comitê de Apropriações do Senado aprovou uma parcela de US$ 365.6 bilhões do plano econômico, no mesmo dia em que os senadores deram início às discussões a respeito do pacote.Acredita-se que o Congresso deverá votar a medida nesta quarta. Obama espera implantar o pacote econômico até meados de fevereiro.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.