Obama mantém liderança sobre Romney nos EUA Por Alina Selyukh

O presidente Barack Obama se manteve à frente do adversário republicano Mitt Romney em uma pesquisa realizada pela Reuters/Ipsos, divulgada neste domingo, mantendo o aumento de popularidade que se seguiu à Convenção Nacional Democrata.

Reuters

09 de setembro de 2012 | 18h26

Dos 1.419 possíveis eleitores pesquisados online ao longo dos últimos quatro dias, 47 por cento disseram que votariam em Obama e 43 por cento votariam em Romney se as eleições de 6 de novembro fossem realizadas hoje.

A vantagem do presidente sobre Romney na pesquisa diária apresentou os mesmo números de sábado, aumentando a pressão nos estrategistas republicanos que esperavam uma reação pós-convenção de Obama mais moderada, em consequência da divulgação dos fracos números sobre a taxa de empregos no país.

"Isso significa que (os Democratas) estão avançando bem para o resto da eleição," disse a pesquisadora da Ipsos, Julia Clark. A vantagem de Obama já está durando mais tempo do que o curto impulso recebido por Romney, após o final da Convenção Republicana em Tampa, Flórida, no dia 30 de agosto, disse Clark. A Convenção Democrata durou até quinta-feira à noite, em Charlotte, Carolina do Norte.

"A tarefa agora e manter-se fiel à mensagem divulgada, já que ainda estamos longe da eleição," disse Clark, reiterando a sua previsão de que a diferença nos números das pesquisas entre Obama e Romney deve diminuir e se manter próxima, até 6 de novembro. Questionados sobre "qual dos dois vai proteger os empregos americanos", 42 por cento dos 1.660 eleitores registrados escolheram Obama, enquanto 35 por cento ficaram do lado de Romney.

A vantagem de Obama nesta categoria vem crescendo de forma constante ao longo das duas últimas semanas de pesquisa diária, começando com 34 por cento em 28 de agosto, chegando a 36 por cento em 6 de setembro, e chegando ao máximo no domingo.

"A opinião pública sobre a economia tem muito mais a ver com percepção pessoal do que com a realidade," disse Clark, explicando que poucas pessoas prestam atenção a números ou estatísticas. "O fato de o diálogo estar na esfera pública e Obama está defendendo seu desempenho, é possível que parte disso esteja contando."

Ao mesmo tempo, 72 por cento dos eleitores registrados e entrevistados disseram que a economia nacional e o déficit nacional estavam no caminho errado, enquanto 66 por cento disseram o mesmo sobre emprego e desemprego e 57 por cento sobre o caminho que as coisas no país estão seguindo, em geral, de acordo com os números da pesquisa de domingo.

Perguntados como se sentiam em relação a Obama, 54 por cento dos eleitores registrados foram favoráveis, enquanto que Romney ficou com 49 por cento.

Perguntados como eles se sentiam em relação a Obama, 54 por cento dos eleitores registrados foram favoráveis.

Romney ficou atrás com 49 por cento dos eleitores registrados favoráveis a ele. Os resultados de domingo encerram uma série de pesquisas diárias que visam avaliar as opiniões durante as duas semanas de convenções partidárias.

Para a pesquisa, eleitores registrados foram entrevistados online entre os dias 5 e 9 de setembro. A precisão da pesquisa online Reuters/Ipsos é medida usando uma margem de erro. Neste caso, a pesquisa tem uma margem de erro de mais ou menos 2.7 pontos percentuais para todos os entrevistados.

Tudo o que sabemos sobre:
POLITICAELEICOESEUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.