Obama está 'confiante' em superar diferenças com Dilma

O presidente Barack Obama está confiante que ele e a presidente Dilma Rousseff serão capazes de superar as "diferenças" provocadas pelo escândalo de espionagem da Agência de Segurança Nacional (NSA na sigla em inglês), afirmou nesta terça-feira, 10, o vice-conselheiro de Segurança Nacional da Casa Branca, Ben Rhodes.

CLAUDIA TREVISAN, CORRESPONDENTE, Agência Estado

10 Dezembro 2013 | 21h52

Em comentário sobre o breve encontro entre Obama e Dilma na África do Sul, Rhodes disse que o presidente acredita ter uma relação "afetuosa" com a brasileira e que ambos conseguirão resolver o conflito gerado pela revelação de que a NSA monitorou comunicações da líder brasileira.

"Nós temos um diálogo bastante substancial por meio de canais diplomáticos e de inteligência para tratar das preocupações brasileiras e ele (Obama) está confiante de que pode manter essa relação em uma posição sólida", disse Rhodes em briefing a jornalistas a bordo do avião que levou Obama de volta aos Estados Unidos.

Segundo ele, os dois líderes não conversaram sobre a possível visita de Dilma a Washington. Marcada para outubro, a viagem foi cancelada pela brasileira em protesto contra as atividades da NSA. O governo americano prometeu reavaliar a maneira pela qual a agência de inteligência atua. O Brasil só vai discutir de uma nova data para a visita depois que os resultados dessa revisão forem anunciados.

Mais conteúdo sobre:
Espionagem Obama Dilma

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.