OAB vai à Justiça para apurar uso de cartão corporativo em TO

Segundo entidade, por meio do cartão, Banco do Brasil paga despesas da PM em troca de segurança

da Redação,

17 de março de 2008 | 16h34

A Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Tocantins, entrará com uma ação civil pública contra o governo do Estado contra uso irregular do cartão corporativo. Segundo a entidade, por meio do cartão, o Banco do Brasil vem pagando despesas da polícia militar do TO para, em troca, garantir serviços de segurança.  Veja também: Ouça reportagem da Rádio Eldorado sobre os cartões de TO  Entenda a crise dos cartões corporativos  O secretário de Fazenda, Dourival Roriz, diz que a parceira não tem nada de irregular e o valor pago é muito pequeno. "Existe um convênio entre a PM e o BB que seria o acompanhamento no transporte de valores e acompanhamento de pessoas do banco. O convênio é legal e cumprido legalmente", defende-se.  Ainda de acordo com ele, o recurso é passado à polícia e a polícia faz os gastos que quer dentro da legalidade. "E todos os extratos dos cartões corporativos da polícia foram colocados à disposição da imprensa e da OAB", afirma Roriz.

Tudo o que sabemos sobre:
Cartões corporativosOAB

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.