OAB defende votação aberta no Conselho de Ética sobre Renan

A votação está marcada para esta quinta e parecer da consultoria da Casa recomenda votação secreta

Agência Brasil

29 de agosto de 2007 | 16h14

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) defendeu nesta quarta-feira, 29,  a votação aberta no Conselho de Ética para o processo envolvendo o senador Renan Calheiros (PMDB-AL).    Veja também: Cronologia do caso Renan       Denúncias contra Renan abrem três frentes de investigação    Veja especial sobre o caso Renan    A votação está marcada para esta quinta e parecer da consultoria jurídica da Casa recomenda votação secreta nesse caso. Para o presidente da instituição, Cezar Britto, o voto secreto não é democrático e o voto aberto dá mais transparência e lisura ao processo.      Segundo a OAB, a idéia do voto secreto está "maculada" com o pedido de afastamento do secretário-geral adjunto da Mesa Diretora do Senado, Marcos Santi. Ele se afastou do cargo ontem depois de alegar que os órgãos da Casa vêm sofrendo pressões desde o início do processo contra o presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL).   A votação do processo que investiga a denúncia de que Renan teria pago contas pessoais com dinheiro de um lobista de uma empreiteira está marcada para esta quinta,  às 10 horas.    A expectativa é que haja dois relatórios. Um do relator Almeida Lima (PMDB-SE), favorável à Renan Calheiros e outro, dos relatores Marisa Serrano (PSDB) e Renato Casagrande (PSB).

Tudo o que sabemos sobre:
caso Renan

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.