OAB critica presidente do STF

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil do Rio, Wadih Damous, criticou ontem a declaração do ministro Gilmar Mendes, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), que alertou para instabilidade institucional, se os arquivos da repressão forem abertos. Para Damous, o ministro se vale de um peso e duas medidas, e não deveria temer a reação de ex-torturadores e militares que se insurgiram contra a possibilidade de serem processados. "Na Operação Satiagraha, o ministro, tecnicamente, sustentou a necessidade de libertação dos acusados e afirmou, corretamente, que o magistrado não deve temer a opinião pública", anotou o presidente da OAB/RJ."Agora, quando se discute a responsabilização das torturas cometidas, ele alega que o debate provoca instabilidade institucional. O ministro também não deveria temer a opinião de militares ou de ex-torturadores. O medo não é questão seletiva, não se pode escolher o que temer."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.