'O que o Supremo decidiu, decidido está', diz Dilma

A pré-candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, disse hoje que a posição do Supremo Tribunal Federal (STF), que rejeitou ontem ação que questionava a Lei da Anistia, deve ser respeitada. "O que o Supremo decidiu, decidido está", afirmou, na Associação Comercial de Santos (ACS), no centro da cidade do litoral de São Paulo.

REJANE LIMA, Agência Estado

30 de abril de 2010 | 14h34

Ela destacou que a Lei da Anistia é fundamental para que não haja perigo de o Brasil "cair numa ditadura". "Que tenha no Brasil sempre democracia, liberdade de imprensa e direito de opinião", defendeu.

Dilma destacou ainda obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) executadas no Porto de Santos e lembrou que o PAC 2 reserva R$ 1,4 bilhão em investimentos para o cais santista. De Santos, a pré-candidata do PT a presidente seguiu para Cubatão (SP), onde almoça com correligionários e políticos da região.

Tudo o que sabemos sobre:
eleição 2010anistiaSupremo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.