Andre Dusek/Estadão
Andre Dusek/Estadão

'O PSDB traiu suas origens', diz Miguel Reale

Ex-ministro da Justiça desfilia-se do partido após decisão pela manutenção de apoio ao governo Temer

Pedro Venceslau, O Estado de S.Paulo

13 de junho de 2017 | 16h57

Filiado ao PSDB desde 1992 e vice-presidente da legenda em São Paulo nos anos 1990, o ex-ministro da Justiça Miguel Reale Júnior disse ao Broadcast Político que o partido "caiu na vala comum e traiu sua história" ao decidir permanecer no governo Michel Temer. O jurista enviou nesta terça-feira, 13, sua carta de desfiliação ao diretório da Boa Vista, seu domícilio eleitoral     

O senhor decidiu se desfiliar do PSDB após a decisão da sigla de permanecer no governo Michel Temer. Por quê?

O PSDB tomou uma decisão míope e traiu suas origens. O partido nasceu liderado por (Franco) Montoro e Fernando Henrique Cardoso com uma marca ética e para se diferenciar do PMDB. O PSDB traiu sua história e desagradou a militância

Qual será o impacto da manutenção dessa aliança com Temer para o PSDB nas eleições de 2018?

Será muito grave para o partido. O PSDB pode até ganhar apoio na Comissão de Ética do Senado para salvar o mandato do Aécio Neves, mas perdeu seu discurso. Isso reflitirá lá na frente.

A cúpula tucana bate na tecla das reformas para justificar o apoio a Temer...

O PSDB não precisa estar no governo para as reformas darem certo. O partido caiu em uma vala comum com essa forma canhestra de ser.

Com avalia a permanência do senador Aécio Neves no cargo de presidente afastado do PSDB?

O PSDB já tinha que ter tomado a decisão de tirá-lo da presidência, mas fica adiando isso. Ele próprio devia ter pedido para sair.

      

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.