SERGIO CASTRO/ESTADÃO
SERGIO CASTRO/ESTADÃO

'O melhor candidato para a disputa de 2018 será aquele que o povo desejar', diz Doria

Em viagem nos Estados Unidos, o prefeito de São Paulo voltou a negar que será candidato a presidência da República

Ricardo Leopoldo, O Estado de S. Paulo

14 de maio de 2017 | 20h14

NOVA YORK - O prefeito de São Paulo, João Dória, disse que o melhor candidato para as eleições presidenciais de 2018 será aquele que o povo desejar, relatando que não é candidato nem postula concorrer ao pleito no próximo ano. "Tudo a seu tempo. O próprio Fernando Henrique (Cardoso) teve a sabedoria de declarar recentemente que o PSDB tem que saber ouvir as ruas, saber ouvir o que a opinião pública efetivamente deseja", apontou.

Dória destacou que o Fernando Henrique Cardoso foi gentil, ao citar seu nome entre os políticos novos, tendo citado outras pessoas também, como o apresentador de televisão Luciano Huck. "Fernando Henrique é um homem com muita sabedoria, com muito conhecimento e eu o respeito bastante", disse. "É longe e perto. Longe, porque estamos falando de uma eleição de outubro de 2018. E perto, porque, a meu ver, a partir de julho deste ano, vai se intensificar."

Doria disse que é candidato a ser prefeito da cidade de São Paulo. "A melhor contribuição que posso dar à democracia brasileira é continuar um bom prefeito", apontou. Ele destacou que a cada pesquisa mostrando seus elevados índices de aprovação, sua responsabilidade aumenta.

"Não pode ir para baixo. Tem que manter ou melhorar para continuar sendo uma voz ouvida e, principalmente, corresponder àquilo que os eleitores desejam para a cidade de São Paulo: que eu seja um bom prefeito", apontou o prefeito. "Gostaria de ser presidente do Santos Futebol Clube e lá vou disputar com o Geraldo Alckmin", comentou, brincando, referindo-se ao governador de São Paulo.

Dória não contesta as pesquisas de opinião que apontam o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como líder em pesquisas de opinião para as eleições de 2018. "Eu não desconfio das pesquisas. Entendo que as pesquisas são sérias", apontou. "Mas entendo também que a melhor forma para que se sepulte essa pretensão de dizer que Lula é vítima de alguns jornalistas, de alguns veículos de comunicação, da classe média, e de alguns políticos é que ele dispute a eleição e perca", disse. "Essa é a forma mais democrática. E que responda na sequência à Justiça pelos cinco processos que já tem e pelos novos que certamente virão pela frente."

Na avaliação do prefeito de São Paulo, o povo tem sabedoria e não há "nada como um bom debate". O debate vai ajudar a população a compreender a real dimensão de "Luiz Inácio mentiroso da Silva". 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.