O marqueteiro mais disputado da base governista

O presidente Fernando Henrique Cardoso foi um espectadorprivilegiado dos programas eleitorais do PFL que levaram a todo o País as imagens da governadora do Maranhão, Roseana Sarney, pré-candidata à Presidência. À exceção do último programa, que foi ao ar no dia 31, antes de serem exibidos em cadeia nacional de rádio e televisão ostapes eram levados ao presidente da República pelo presidente nacional do PFL, senador Jorge Bornhausen (SC). O comentário de Fernando Henrique foi um só: ?Brilhante?.Com a frase, enviada a Bornhausen num bilhete, Fernando Henrique mostrou a admiração que tem pelo publicitário Nizan Guanaes, que fez as suas duas campanhas vitoriosas: a da primeira eleição, em 1994, e a da reeleição, em 1998. Mas o presidente avisou aos dirigentes dos partidos da base aliada que não vai interferir na decisão de Nizan, do qual éamigo. O PFL e o PSDB o disputam. O contrato do publicitário com os pefelistas terminou no dia 31, mas Bornhausen tem esperanças de renová-lo. Do lado de Serra, uma ala defende a imediata contratação do publicitário.Fernando Henrique disse que não vai entrar nessa briga. ?Não tiro nem ponho o Nizan, seja para o Serra ou para a Roseana?, afirmou o presidente para um político. ?Só não abro mão dele comigo?, advertiu. Mas Fernando Henrique complementou: ?Duvido que o Nizan fique longe da campanha, porque ele adora disputar com o Duda Mendonça (o publicitário que cuida da imagem e dos programas de Luiz Inácio Lula da Silva, provável candidato do PT a presidente da República)?. Quanto a Nizan, o que ele tem dito aos políticos e aos que com ele convivem é muito parecido com o que fala Fernando Henrique. ?O que interessa entre Serra e Roseana é que sou Fernando Henrique?, costuma afirmar. Ele lembra que até recentemente esteve com o governo, mas foi afastado pelo ex-secretário de Comunicação Andrea Matarazzo, aliado deJosé Serra e hoje embaixador do Brasil em Roma. Mas, segundo Nizan, por intermédio dos programas de Roseana Sarney, ele acabou voltando a conviver com o governo de Fernando Henrique, porque a governadora do Maranhão é aliada do Palácio do Planalto.Férias e CarnavalRoseana Sarney entra de férias do governo na segunda-feira e permanece afastada até o dia 24. Na quinta, ela abre ocarnaval de São Luís, com uma fantasia do personagem Fofão, igual à que usará seu marido, Jorge Murad. Na quarta, ela inicia os contatos políticos para a sua campanha, que vão continuar na quinta, mesmo dia da abertura do carnaval.A Grande Rio, escola de samba do carnavalesco Joãosinho Trinta, vai homenagear o Maranhão. Roseana não irá para o desfile. Mas já avisou a Joãosinho, que é maranhense: ?Trate de conseguir um dos quatro primeiros lugares, porque estarei no Rio para o desfile das campeãs?.O programa eleitoral que foi ao ar na quinta-feira e que comparou Roseana Sarney ao ex-presidente dos Estados Unidos Bill Clinton, vem sendo comemorado como um dos que obtiveram melhor retorno dos eleitores. A parte sobre segurança, por exemplo, não havia sido planejada. Mas, no último momento, a própria Roseana exigiu que o assunto fosse tratado. E o impacto foi maior do que o próprio PFLesperava, conforme avaliação de seus especialistas.Antes da gravação do programa, Roseana reuniu-se por seis horas com o senador Romeu Tuma (SP) e com o deputado Moroni Torgan (CE), os responsáveis pelo projeto de segurança do PFL. Orientada por eles, falou a respeito das medidas que tomou no Maranhão para conter aviolência, como a prisão de oficiais militares e de dois deputados estaduais. Tuma e Moroni apareceram também no programa e falaram de suas idéias para a redução da criminalidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.