O diretor-geral do Instituto Nacional do Câncer pede demissão

Jamil Hadad foi, em suas palavras, ?apunhalado pelas costas? e decidiu, no fim da manhã pedir demissão do cargo de diretor-geral do Instituto Nacional do Câncer. Segundo ele, não sabia que havia uma crise de desabastecimento no instituto. Na semana passada cinco diretores da instituição também pediram demissão alegando falta de condições de trabalho. ?Mesmo com o apoio do Ministério da Saúde, solicitei minha demissão porque não tenho condições de continuar?, disse Haddad, ex-ministro da Saúde no governo Itamar Franco. O pivô da crise é a diretora-administrativa Zélia Abdulmacih, que assumiu o cargo por indicação política. Todos as pessoas que ocupam cargos dedireção no Inca serão substituídas pelo Ministério da Saúde.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.