LECO VIANA/THENEWS2
LECO VIANA/THENEWS2

'O campo liberal é o que pode mudar o Brasil', diz João Doria ao defender o 'novo PSDB'

Em Congresso do PSDB, o governador reforçou discurso de que o partido é do 'centro liberal'

Idiana Tomazelli e Camila Turtelli, O Estado de S.Paulo

07 de dezembro de 2019 | 14h09

BRASÍLIA - Na abertura do Congresso Nacional do PSDB, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), defendeu o ‘campo liberal’ para promover mudanças no País. “Entendemos que o campo liberal é o campo que pode mudar o Brasil, na geração de empregos e oportunidades”, afirmou ele nesta manhã em Brasília.

Doria negou que haja um aceno do partido à direita e firmou um posicionamento de centro. “Extremo não vai conduzir o Brasil a nenhum campo. Não há endireitamento do PSDB”. Ainda assim, Doria diz que o PSDB formaliza uma mudança programática. “O fundamental é o novo posicionamento do novo PSDB. Partido do centro liberal democrático, que respeita teses de direita e de esquerda”, afirmou Doria ao comentar sobre o evento. “Essa é reunião inédita promovida por Novo PSDB”, disse. Fundado em 1988, o PSDB surgiu de uma dissidência do MDB como uma sigla socialdemocrata e liberal.

Nas semanas que antecederam o evento, o partido promoveu uma consulta prévia pela internet para ouvir a militância tucana a respeito de temas sobre os quais a sigla vai se posicionar oficialmente. A ideia é que o resultado da enquete sirva de base para a votação dos 700 delegados esperados no evento.

Questionado se via espaço para uma frente de centro nas eleições, o governador paulista respondeu que defende somar forças “para ajudar o Brasil”. 

Bolsonaro

O governador tucano evitou fazer comparações sobre o governo atual com a mudança programática buscada pelo PSDB. “Não queremos fazer comparações com atual governo. Queremos estabelecer a nova identidade que respeita seu passado inclusive”, disse.

2022

Doria sinalizou que o PSDB pode realizar prévias para escolher seu candidato ao Palácio do Planalto caso haja mais de um nome na jogada. “Nas duas candidaturas que participei fizemos prévias, sou fruto das prévias”, afirmou.

Doria teceu elogios ao governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, apontando com um dos possíveis nomes que deve rivalizar o posto de candidato do PSDB em 2022 com ele. Doria exaltou sua juventude e seu governo.

Eduardo Leite reforça discurso de concorrente interno

No congresso tucano, o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, disse que estará em 2022 onde o partido desejar. “Eu vou dar minha colaboração, seja nos bastidores, seja de forma mais viva na vitrine onde me posicionarem”, disse Leite.

Questionado sobre qual seria essa vitrine, o governador gaúcho disse que pode trabalhar em alguma coordenação ou até “participar ativamente com candidatura”. Ao se eleger para o governo do Rio Grande do Sul, Leite prometeu na campanha que não buscaria a reeleição. Ele já foi prefeito da cidade gaúcha de Pelotas, posto para o qual não tentou o segundo mandato.

Leite defendeu a realização de prévias eleitorais para decidir qual será o candidato do partido, sem citar nomes. “É legítimo e importante que se façam prévias (eleitorais). O partido tem que estar aberto à participação de seus filiados”, afirmou.

O governador gaúcho ainda reforçou o a ideia de menos conservadorismo para a legenda. “É possível unir perfil liberal na economia e ser progressista nos costumes”, afirmou.  “Não pode agora, que o perfil do eleitorado possa ter ido mais à direta, querer estar mais à direita do que ele está. O PSDB tem que estar onde sempre esteve, moderado, aberto ao diálogo, construindo alternativas”.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.