O calor brasileiro está sob controle

Apesar de apresentar desde o início do ano temperaturas acima das médias históricas, entre 2 e 4 graus, o verão no Brasil não deverá apresentar picos alarmantes como no verão europeu garantem os meteorologistas.Na capital paulista, a máxima do ano é de 34,1 graus, registrada nos dias 9 e 25 de fevereiro e na tarde de hoje, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). A meteorologista do Inmet, Neide Oliveira, num levantamento dos últimos dez anos, constatou que fevereiro deste ano registrou nove dias com temperaturas acima de 33 graus, resultando na maior média das máximas, 31,6 graus, desde 1943, início das medições oficiais em São Paulo. A média normal do mês é de 27,9 graus.Mesmo assim, Neide Oliveira não acredita na possibilidade de um verão atípico, principalmente porque o hemisfério sul não está sob a influência de nenhum fenômeno local, como o El Niño ou La Niña, que costumam aquecer ou resfriar as águas do Pacífico equatorial durante suas atuações.O Brasil tem, ainda, a região amazônica que se encarrega de umedecer o ar, diferentemente da Europa que apresenta uma estação mais seca, argumenta Neide.O meteorologista da empresa Climatempo André Madeira também acredita que não há relação entre a mesma estação nos dois hemisférios, sul e norte.Madeira disse que foi uma grande massa de ar quente que normalmente atua sobre a norte da África que avançou para aEuropa, deixando as temperaturas mais elevadas naquele continente no último verão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.