Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

''''O Bolsa-Família gerou apatia'''', reclama líder

Stedile diz que MST esperava que o governo Lula fosse animar o povo, mas isso não ocorreu

O Estadao de S.Paulo

23 de fevereiro de 2008 | 00h00

Na entrevista transmitida pela TV Estadão, João Pedro Stedile também falou sobre o programa Bolsa-Família e as crescentes dificuldades que os movimentos sociais encontram para arregimentar pessoas.ESPERANÇA FRUSTRADA"Nós do MST tínhamos esperanças de que o governo Lula fosse animar as massas. Mas aí nos demos conta de que os ciclos da luta de classes não dependem do governo."OS CICLOS DA LUTA"Cada vez que um partido de esquerda ganha as eleições, é como parte do acúmulo de forças populares. E onde isso acontece é gerado um clima de maior agitação social, maior mobilização. Mas isso não aconteceu aqui. Por quê? Porque Lula ganhou no refluxo do movimento de massa. Na história recente da luta de classes no Brasil, tivemos vários ciclos. O primeiro foi de 1900 a 1935, quando se perdeu a luta. Houve então um refluxo, que durou até 1945, quando o movimento de massas tornou a ascender. Esse movimento durou até 1964, quando ocorreu uma disputa de projetos, na qual perdemos para a ditadura. Veio novo descenso, até 1979, quando a crise industrial no País resultou no ressurgimento da CUT, no nascimento do PT, do MST. Isso durou até 1990. A derrota do Lula para o Collor não foi uma derrota eleitoral - foi a derrota de um projeto. O neoliberalismo e a burguesia derrotaram a classe operária brasileira, produzindo o refluxo no qual estamos até hoje."APATIA"O Bolsa-Família atende 20% dos mais pobres. Resolve um problema social, porque essas famílias estavam na miséria absoluta; mas, de certa forma, também acomoda essas famílias. O programa gerou apatia nas famílias pobres. Deveria ser um programa transitório, combinado com outro programa, que levasse empregos."JOSÉ RAINHA"Ele chegou a ser da direção nacional do MST. Mas começou a trilhar um caminho que não respeitava mais as instâncias às quais estava vinculado. Optou pelo auto-afastamento e foi constituindo seu próprio grupo no Pontal do Paranapanema. É um líder de massas."MONOCULTURA"O monocultivo do eucalipto e da cana pode dar muito lucro para o seu dono, mas não cumpre a função social da terra. Não gera emprego, agride o meio ambiente e exaure os recursos naturais. Por causa disso pode ser desapropriado."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.