Taba Benedicto/Estadão
Taba Benedicto/Estadão

Nunes segue Doria e aposta em vacinação contra covid como vitrine política

Prefeito cita adesão de jovens na ação que ofereceu vacina por 34 horas seguidas; desde que assumiu, Nunes já acompanhou 12 eventos de vacinação

Adriana Ferraz, O Estado de S.Paulo

16 de agosto de 2021 | 20h00

Ainda desconhecido pela maior parte da população, o prefeito Ricardo Nunes (MDB) obteve sua primeira vitória política neste final de semana ao ver sua proposta de oferecer vacina a jovens de 18 a 21 anos por um período de 34 horas ininterruptas alcançar adesão em massa. Com Tomás Covas, filho de Bruno Covas, como “garoto propaganda”, a “Virada da Vacina” aplicou mais de 500 mil doses contra a covid-19 da manhã de sábado às 17h de domingo.

Sem ter uma linha de atuação muito definida até aqui – Nunes tinha o “empreendedorismo” como bandeira na Câmara Municipal – e no cargo de forma definitiva há apenas três meses, o vice que virou prefeito segue os passos do governador João Doria (PSDB) e se apega às medidas contra o novo coronavírus para conseguir traçar metas e bandeira de governo. 

A área da Saúde, como esperado, tem recebido atenção especial, assim como o suporte a moradores de rua, especialmente em semanas de baixas temperaturas. Desde 17 de maio, dia seguinte à morte de Covas, o site da Prefeitura aponta ao menos 28 agendas com a temática da saúde com participação de Nunes – 12 delas referentes ao início da vacinação para determinados grupos etários e especiais, como grávidas e motoristas de ônibus.

Para atrair o público jovem no último final de semana, a Prefeitura contratou 440 artistas, entre animadores e DJs para animar o evento madrugada adentro. Eles foram espalhados nos 14 drive-thrus e três megapostos montados para a ação, que não alcançou por completo a meta de imunizar 600 mil pessoas, mas foi considerada um “sucesso” por funcionários e aliados da gestão municipal. 

Ao lado do prefeito e do vice-governador, Rodrigo Garcia (PSDB), Tomás Covas cumprimentou quem estava nas filas e gravou um vídeo convocando os jovens a se vacinarem. Com 16 anos recém completados, o adolescente não pôde receber a imunizante – sua faixa etária é o próximo público-alvo da campanha, que agora foca nas idades de 12 a 17 anos.

Nesta segunda, a Prefeitura informou que a virada realizada no fim de semana poderá ser repetida se houver disposição de vacinas. Ao Estadão, o prefeito considerou a ação como a principal “bola dentro” de sua gestão até aqui. “Porque salvamos muitas vidas”, disse. No sábado, antes de receber os números, ele já comemorava a fila de carros nos drive-thrus dizendo que a decisão municipal tinha sido acertada. A espera era de cerca de duas horas.

Com o resultado da virada, a capital ultrapassou a aplicação de 12 milhões de doses desde o início da campanha, em fevereiro. O número representa 98,5% da população vacinada com dose ou dose única contra covid. Mas, apesar da comemoração, os dados da segunda dose estão bem mais baixos – 40,7% apenas têm a imunização completa em São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.