''Nunca se pensou em investigar as mulheres''

Luiz BassumaDeputado PT-BAPresidente da Frente Parlamentar em Defesa da Vida contra o Aborto, o deputado petista Luiz Bassuma (PT-BA), de 52 anos, espírita e médium, acirrou o confronto com companheiros de partido quando propôs a criação da CPI do Aborto e acusou o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, de não agir contra a venda de drogas abortivas. A seguir, trechos de entrevista:Há um movimento para que a CPI do Aborto não vá adiante. Como o senhor vai reagir?A posição do meu partido, o PT, é obstruir a CPI. Mas eu não arredo o pé. Estamos fazendo uma campanha para que o presidente da Câmara cumpra o seu dever. Se as lideranças não indicarem integrantes da comissão, o presidente indica. Vamos fazer atos públicos e colher assinaturas em favor da CPI.O Diretório Nacional abriu uma investigação contra o senhor na comissão de ética.Eu já respondia (a um processo) no diretório regional e agora foi para o nacional. Eles disseram que eu podia apenas assinar, votar e pronto, que bastava eu não agir com tanta força. Não mudo um milímetro em nada.Por que o senhor quer investigar os abortos clandestinos?Há um fato determinado, que é a declaração do ministro da Saúde de que existe uma clandestinidade na venda de drogas abortivas e ele nada faz contra isso. Queremos apurar o comércio ilegal de drogas abortivas, as clínicas clandestinas e investimentos estrangeiros para financiar parlamentares e ONGs em defesa do aborto. Vamos investigar os médicos e pedir a prisão deles. Nunca se pensou em investigar as mulheres.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.