Nunca houve tanta transparência no Brasil, diz FHC

O presidente Fernando Henrique Cardoso disse à revista The Economist, numa reportagem sobre os vários casos de corrupção da América Latina, que no Brasil "nunca houve tanta transparência como agora, e nunca houve um governo tão disposto a evitar que as coisas sejam ocultadas". Segundo FHC, nunca a sociedade brasileira foi tão exigente como é hoje, nem a imprensa tão ativa.A revista disse que vários países da região adotaram reformas que deveria inibir a corrupção. No Brasil, por exemplo, há licitações compulsórias para as compras governamentais e os governos estaduais e federal elaboram detalhados relatórios a respeito de seus gastos. A The Economist observou, no entanto, que a eficácia dessas leis é enfraquecida frequentemente pelas falhas judiciais. "Os grandes gangsters possuem advogados para usar o sistema jurídico para bloquear o avanço de seus casos", disse o presidente à revista.A The Economist afirmou que em vários países a luta contra a corrupção continua sendo uma causa partidária, ao invés de uma causa civil. No Brasil, a oposição está tentando criar uma comissão no Congresso para investigar várias acusações de corrupção contra figuras da coalisão governista."Ela traria alguns benefícios se fosse conduzida com responsabilidade", disse a The Economist. "Mas Cardoso parece ter razão quando argumenta que isso é motivado menos por um desejo genuíno de realizar uma investigação abrangente do que o desejo de jogar o máximo de lama possível sobre ele no ano anterior à eleição presidencial."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.