Reprodução/Facebook
Reprodução/Facebook

'Nunca falei com políticos, sou neutro', diz dono de grupo excluído por Facebook

Analista financeiro de 28 anos diz, em entrevista ao 'Estado', que intenção de páginas era apenas de 'ajudar', sem custo, o aumento de alcance orgânico de outras páginas na rede social

Luiz Fernando Toledo, Caio Sartori, Daniel Bramatti, Alessandra Monnerat, Cecília do Lago, O Estado de S.Paulo

15 Agosto 2018 | 15h15

Dono do grupo PCSD, o analista financeiro Jhonatan Yahsser (o sobrenome é fictício, usado por ele nas redes sociais), de 28 anos, negou ter recebido qualquer pagamento para fazer o engajamento de páginas no Facebook. Ele também criticou a postura do Facebook em apagar as páginas "sem ter provas" de que elas cometeram alguma irregularidade. O Facebook derrubou 72 grupos, 50 contas e cinco páginas na manhã desta quarta, apontando que eles estariam envolvidas em um esquema de compra e venda de falso engajamento, inclusive para políticos, no México. O grupo foi recriado minutos depois de o Facebook tê-lo derrubado.

Leia a seguir a entrevista.

Por que as páginas de vocês foram removidas?

Tudo que estão falando não tem nada a ver com a gente. Não mexemos com política, não fizemos interferência nenhuma no México e nem no Brasil. Nos deletaram por uma suspeita, sem comprovações. Se tem uma pessoa ou outra que faz (algo irregular), não podem responsabilizar todos.

O que é o PCSD?

Somos um grupo que reúne donos e administradores de páginas de Facebook com intuito de trocar conhecimento, compartilhamento de páginas. Uma ajuda a outra a crescer. Já existe desde a época do Orkut e lá, trabalhávamos com comunidades. 

Vocês ganham dinheiro? Comercializam engajamento?

Não. Somos um grupo rígido, tentamos punir ao máximo isso. Temos inclusive um grupo, a "Assessoria de Comunicação", onde a gente pune quem faz coisa errada, como cometer crimes virtuais ou roubar páginas. Seguimos as diretrizes do Facebook.

Mas o relatório que o Facebook usou como base mostra até comprovantes de venda, imagens do Paypal e transferências. Vocês negam isso?

Nós intermediamos a troca de páginas, por exemplo, para que não haja roubo. Mas não há remuneração para o intermediário. Quem pode ganhar é quem oferece o espaço da própria página para divulgar outra. Se a sua página tem um rendimento interessante, um alcance orgânico bom, alguém pode querer comprar a divulgação de uma página que possua na sua página. E nós administramos isso. Nosso objetivo é fazer com que a página renda.

Mas vocês são uma empresa?

Nós somos um grupo de amigos. Tudo começou na época do Orkut, em 2006, quando o grupo foi criado com o intuito de compartilhar comunidades. Entrávamos e trocávamos conhecimento. Chegamos no Facebook com o mesmo intuito. Foram entrando novos membros no ramo. A pessoa cria a página e quer que ela cresça. Assim foi se formando um grupo grande. Não tem CNPJ nem nada, mas tratamos com seriedade, pois envolve a segurança das pessoas envolvidas com as trocas. Existe muita gente mal intencionada nisso. 

São quantas pessoas? Quem são vocês?

Cerca de 10 a 12 pessoas como administradoras. São pessoas que não conheciam e ficaram amigas, até na vida real, por causa do grupo.

Jhonatan é seu nome real?

Sim, mas não o sobrenome. Yahsser é como eu sou conhecido. Não divulgo o nome real porque a gente não sabe a intenção das pessoas. 

Qual é sua profissão?

Trabalho como analista financeiro.

A empresa Zip Network* é citada frequentemente pelo grupo (está, inclusive, na foto de capa do PCSD). Você é dono da empresa?

Não. Fiz o suporte deles durante um tempo, mas não tenho relação.

(A empresa é citada frequentemente pelo grupo PCSD. O site zip.network se apresenta como um ampliador de conteúdo nas redes sociais, "usando novas tecnologias e tendências de mercado no Facebook")

Esse tipo de trabalho gera alguma renda?

Para quem investe nisso. Para que alguém quer crescer uma página? Por hobby, pra vender publicidade, para divulgar sites e coisas que compram divulgação. Depende do interesse. Tem como tirar uma renda? Tem sim. Tem páginas que têm seus próprios sites, canal no Youtube, e assim vai monetizando. É uma forma de envolver hobby e uma renda.

Mas vocês já receberam qualquer dinheiro por isso?

O serviço de intermédio não é cobrado. Não ganhamos nada. Disponibilizamos um serviço gratuito.

Você, pessoalmente, já lucrou com isso?

Eu, diretamente, não. Já negociei páginas. Mas ganhar com venda de links, essas coisas, não. Não tenho tempo para isso. Cuido do grupo e das páginas.

O que quer dizer "negociar páginas"?

Fazer a intermediação. Mas sem ganhar nada por isso.

Quem costuma ir atrás do grupo para pedir ajuda para aumentar o engajamento das páginas?

São pessoas comuns. Não são celebridades, políticos. Descobrem o sistema de páginas e acabam querendo crescer com isso. Qual é o começo para fazer sucesso no Youtube? Começar com uma página. Quando tiver um bom engajamento orgânico, pode começar a crescer em outras coisas. São pessoas que têm interesse em comum.

Você conhece a página Frases e Versos (página tirada do ar pelo Facebook e citada como uma das fontes de engajamento, com mais de 5 milhões de curtidas) ? É o responsável por ela ou conhece quem é?

Não conheço. Tomei conhecimento pela reportagem. Há diversas pessoas no grupo, sim, mas não sei de envolvimento.

Você administra quais páginas?

Isbitch, de humor feminino, e Amor quase Impossível, sobre um livro. Mas acho que também tiraram do ar.

Vocês nunca tiveram contato com nenhum político?

Nunca. E nem tenho interesse. Sou neutro.

Como avalia a postura do Facebook neste caso?

Deveriam melhorar a análise deles, porque saímos prejudicados. Baniram completamente o nome da PCSD no Facebook, sem contar a difamação. Várias pessoas procurando a gente por algo que não fizemos. Essa exposição foi errônea, grotesca. Deviam melhorar isso. Não sei qual a ação que vamos tomar agora. Meu nome, pelo menos, não foi exposto, pois não o divulgo. Não costumo fazer nenhuma negociação, só ajudo as pessoas. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.