Número de fazendas invadidas por sem-terra sobe para 21 no interior de SP

Líder do MST, José Rainha Júnior informou que a prisão de lideranças do PT no processo do Mensalão causou revolta entre os militantes do movimento

José Maria Tomazela, de O Estado de S. Paulo,

16 de novembro de 2013 | 12h50

Mais cinco fazendas foram invadidas por integrantes do MST da Base, dissidência do Movimento dos Sem-Terra (MST) liderada por José Rainha Júnior, na madrugada deste sábado, 16. Com isso, subiu para 21 o número de propriedades rurais ocupadas pelos sem-terra, das quais 16 foram invadidas na madrugada de sexta-feira (15).

 

Das novas áreas ocupadas, quatro ficam no Pontal do Paranapanema e uma na região de Araçatuba. Os proprietários de duas fazendas invadidas, em Rinópolis e Marabá Paulista, obtiveram na Justiça liminares de reintegração de posse, mas as áreas não tinham sido desocupadas até a tarde de sábado.

 

José Rainha Júnior informou que a prisão de lideranças do PT no processo do Mensalão causou revolta entre os militantes do movimento. Já estão presos os ex-presidentes do PT José Dirceu e José Genoino, e o ex-tesoureiro Delúbio Soares. "Sou companheiro do Zé Dirceu desde a fundação do PT e sei o que é a dor da prisão, ainda mais quando injusta. A burguesia tem de saber que nunca se prendem as ideias. O Zé Dirceu e os companheiros lutaram a vida toda pela democracia a liberdade", disse.

 

O MST da Base reunirá a militância na terça-feira em Araçatuba para discutir manifestações contra as prisões. O líder sem-terra voltou à ativa um ano e meio depois de ter saído da prisão. Ele ficou nove meses preso, acusado de envolvimento no desvio de recursos da reforma agrária, o que ele nega. Rainha foi libertado em março de 2012, por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), mas ainda responde ao processo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.